quinta-feira, 17 de maio de 2012

Ensino Fundamental: 157 cidades do Ceará não atingem metas


Fortaleza não está entre os 25 municípios do Estado que alcançaram a média em avaliação nacional da Educação

    Como você avalia a educação pública no Ceará? Quais seriam os principais desafios para alcançarmos uma educação pública e de qualidade para todos? Os dados não são animadores. De acordo com levantamento feito pelo movimento Todos Pela Educação, apenas 25 municípios cearenses - Fortaleza não está inclusa - atingiram metas intermediárias de aprendizagem no 5º e 9º ano do Ensino Fundamental.
    Os dados revelam que apenas 6% das 5.290 cidades brasileiras atingiram a média. Apesar do baixo índice, o Ceará está acima do nível nacional e aparece em terceiro lugar no ranking, com 25 municípios na lista dos que atingiram a média, o que corresponde a 7,5%. Minas Gerais é o Estado que concentra maior percentual (32,3%) de cidades que cumpriram a meta, seguido de São Paulo (11,1%). Em Alagoas, Amapá e Roraima, que ficaram com as três últimas posições, nenhum município atingiu a meta.
    Dos 184 municípios do Ceará, 182 foram avaliados por meio da prova realizada com alunos, matriculados no 5º e 9º ano, de todos os Estados do Brasil.

Melhorias
     Com a divulgação dos dados, o Todos Pela Educação espera que ações concretas de melhorias sejam traçadas. O estudo abrange 5.290 cidades brasileiras. Dessas, apenas 334 atingiram percentuais adequados nas disciplinas de português e matemática, em 2007 e 2009. A meta traçada pelo movimento é que, até o ano de 2022, 70% dos alunos ou mais tenham aprendido o que é adequado para a sua série. Então, para acompanhar o progresso da região geográfica municipal, foram estabelecidas metas intermediárias, que mostram os patamares desejáveis a serem atingidos a cada edição da Prova Brasil.
    Marco Aurélio de Patrício Ribeiro, psicólogo e mestre em Educação, diz que o ensino brasileiro começa a conseguir se direcionar para o caminho certo. Porém, apesar da melhora no resultado dos últimos anos, o País ainda está muito longe do mínimo necessário.
    O especialista comenta que a educação no Brasil, durante décadas, foi menosprezada de tal maneira que esse quadro só será revertido a longo prazo.
Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário