sábado, 22 de junho de 2013

SME - CAMOCIM: Nova gestão, velhas manobras!


O município de Camocim realizou e sediou ontem, 20, a Conferência Intermunicipal de Educação/CONAE. O encontro que, deveria se constituir num espaço democrático para discussão e apresentação de propostas da sociedade para a melhoria da educação brasileira, foi palco da velha e conhecida prática da  "manobra do poder".

Inicialmente fomos agraciados pela pertinente e edificante palestra do Prof. Arnaud. Não sabíamos, porém, que algo terrível estava por vir. Compartilhamos nossa percepção sobre algumas ações da SME-Camocim alusivas ao evento em três atos, conforme a seguir:
VERGONHA Nº 1: ESCOLHA A DEDO
Como já denunciamos em nossa postagem anterior, a SME-Camocim DESTRUIU a essência do evento quando "escolheu a dedo" quem poderia participar do mesmo. O correto seria que, democraticamente, nas escolas, a comunidade escolhesse e enviasse para o encontro os seus representes de pais, alunos e profissionais. Não foi à toa, então, que a Secretaria não divulgou a Conferência (só no dia depois de iniciado) afinal, nitidamente não era interesse do Órgão que a sociedade democraticamente participasse. Como prova, praticamente não foram vistos pais de alunos de nossas escolas. Assim, após manobra inventada pela SME, foi eleita como representante dos PAIS uma trabalhadora da educação.
VERGONHA Nº 2: DISCUTIR PRA QUE?
A SME que poderia ter feito sua Conferência Municipal , a prejuízo das discussões, optou em realizar o evento em conjunto com outros municípios. Pode até parecer razoável a união dos entes que compõe a região da 4ª CREDE. Mas, considerando a magnitude do encontro e da construção das propostas que deveriam surgir, o tempo foi irresponsavelmente INSUFICIENTE. Como já vimos várias vezes acontecer, tudo foi feito "a toque de caixa". Imaginem, termos que, em menos de três horas: analisarmos, discutirmos, apresentarmos e aprovarmos emendas para o documento-referência que contem CENTENAS de proposições divididas em sete eixos?! Como prova de que o tempo foi diminuto e mal distribuído, observamos a partida de representantes de outras cidades sem que os trabalhos fossem concluídos. Perguntamos: Se a opção era fazer em conjunto com outros municípios, por que não oportunizar, consequentemente, mais tempo (ou dias) para as DISCUSSÕES? Vale ressaltar que, no grupo Eixo VII, as discussões sobre o documento só ocorreram devido a nossa insistência, já que a coordenadora da SME, Ilma Vieira, nitidamente queria pular a parte do debate; disse que "só as questões municipais" é que deveriam ser lidas"(?). Mi-se-ri-cór-dia!
VERGONHA Nº 3: ELEIÇÃO COM MANOBRAS
O ponto mais vergonhoso na conduta da SME foi explicitamente estampado no momento da eleição dos delegados para a etapa estadual. Eram dois a serem escolhidos no segmento dos trabalhadores em educação. Iniciada a votação, o Prof. Neudson Carvalho, nosso presidente, foi legitimamente eleito. Porém, o que se viu a partir da sua escolha, foi algo ABSURDO e VERGONHOSO. Insatisfeita, a Secretária da Educação, Elizabete Magalhães, sob o protesto das delegações dos outros municípios, fez com que o processo fosse ANULADO. E não parou por aí: como um dos concorrentes já havia ido embora, a SME lançou uma professora para substituí-la e, pasmem: esta já havia concorrido em outro segmento. Ou seja: irregularmente participou da nova votação e foi escolhida. E foi assim, na base da FORÇA, a força da arrogância dos podres poderes, como diria Caetano Veloso, que a SME tirou nosso representante da etapa estadual. As regras foram mudadas ali, após o "jogo iniciado". Segundo o bel prazer da Secretaria. Que fique claro: só votaram para eleição dos delegados de Camocim aqueles que foram ESCOLHIDOS  pela SME. Você foi escolhido? Você participou de algum processo de eleição em sua escola? Não? Então, a SME não o queria lá.
Diante de tudo isso, fica o protesto da Entidade que há quase 10 anos vem fazendo o dever de casa. Que não foi o Sindicato do Prefeito e nem muito menos será o da Prefeita. Nossa Entidade está pronta para representar e defender os interesses dos servidores e servidoras da educação da rede estadual e municipal.

Lamentamos a postura da SME e esperamos que a mesma mude sua forma de realizar eventos como esse - que deveriam ser marcados pela democracia e não por manobras vergonhosas.
A luta continua! E que Deus nos abençoe!

Ah, já cobramos da SME uma audiência para tratarmos de assuntos relevantes para a categoria. Aguardamos a confirmação da data.
Fonte: APEOC de Camocim

Nenhum comentário:

Postar um comentário